sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Será que Deus existe?

Deus ou deus?

Até meus belos 14 aninhos eu acreditava piamente que sim. Um Ser onipresente, que me guiava e me amava como ninguém nunca conseguiu fazer por inteiro, um Deus que eu amava e seguia por completo.

Depois dessa idade minha fé foi se diluindo, se tornando dúvida e, até mês passado, não existia mais. Me tornei totalmente descrente, não acreditava nem em energia, nem em qualquer Ser que pudesse me amar e me guiar.

Esses últimos meses foram a minha morte, mesmo com pessoas lindas ao meu lado, eu me perdi em dor e autodestruição, perdi meu chão e, sem exagero ou demagogia, pensava na morte como única solução pra tanta angústia.

E é aí que Deus, ou deus, entrou em minha vida. Não me tornei evangélica, ou adepta de alguma religião. Só acho que o destino (ou Deus, para uns, ou Alá, para outros) me deu a maior prova de que eu não posso sair da vida, que a vida ainda precisa muito de mim e tem muito a me dar.

Talvez meus amigos e outros próximos de mim ainda não tenham percebido o quanto eu posso ser importante por qualquer motivo para alguém. Uns que nem são tão próximos me mandam cartas e me ajudam, pelo simples fato de existirem.

Não sei como será a vida, mas hoje, mesmo com tudo revirado, eu sinto uma esperança, e vejo uma luz gigante vindo me cobrir de energia e felicidade.

---

Esse é mais um post chato, outra incógnita da endquepensa.

---

Beijão.

2 comentários:

unimportant disse...

Nunca soube de verdade o sentido de seguir em frente quando tudo se parecia perdido. Entre “não era para ser” e “tudo na vida é um teste, você precisa ser forte e vai perceber que não deveria ter desistido” sempre tombava para o primeiro lado. Criteriosamente, se o “não era para ser” fosse um homem eu diria que fui a mulher mais fiel que ele teve. Até porque o segundo homem tem um nome muito grande, difícil... bonito demais só para se acreditar. Você não acredita que só porque alguém se chama Sr. Presidente quer dizer que isso é uma coisa boa para você, acredita?! Nem eu...
E olha que já rastejei bastante aos pés desse cara que imaginei que seria o homem da minha vida, mesmo sabendo que ele não servia para mim. Por caminhos de pedras e espinhos encobertos dessa lama que brilhava e me atraia, iludia...
Sabe quando você se deixa dominar pela ficção e acha a Morte nunca será a melhor solução para o mais depravado dos vilões? Até Ela perdeu os créditos hoje em dia, coitada... vai ficar tão sem autoestima que vai virar Mocinha; e a Vida vai se tornar a bandida. Já se tornou, segundo alguns especialistas...
Bem, essa Morte, no que dependeu de mim, nunca foi o castigo para os meus vilões - esses problemas que brincavam de sombra comigo até em dias nublados - ou para mim, para que eles pudessem ficar sem seu fantochinho. A força para seguir que não se tinha era exatamente do mesmo tamanho da força que se tinha em desistir.
Alguém aí, há alguns séculos, disse que essas forças opostas se anulam. Resolveria uma terceira força que quebrasse esse paradigma, mas nem para criar essa força eu parecia servir.
Conversava tanto com a morte que ela se tornou minha amiga. Ficamos tão íntimas e me apeguei tanto que Ela mesma não suportou meu grude. Passou a me odiar e a me evitar... nem Ela me queria mais por perto...
Às vezes ou por todos os dias de nossas vidas achamos que não vamos aguentar, não novamente... e então nos damos mais uma chance. Continuamos a nos dar chances porque continuamos achando que não vamos aguentar. E continuamos aguentando... será que isso não significa algo que até então não tínhamos dado importância? ESTAMOS AGUENTANDO! Somos mais forte do que pensamos! Olha aí!
Na maior parte do tempo ou em sua totalidade a gente se acha um lixo, imprestável... será mesmo? Nossa grandiosidade, nossos feitos NUNCA serão valorizados aqui fora se é onde procuramos por reconhecimento. Alguém pode chegar para você e agradecer, elogiar, ser uma gracinha com você e parecer até convincente? Sim... mas isso não te satisfaz e você quer mais e mais... sabe porque? Porque na verdade você nunca teve o que te fizeram acreditar que tinha. Aqui do lado de fora nada é real, e sua consciência está gritando isso para você. O fato de sofrermos por nos julgar incompletos, incompreendidos é que queremos acreditar no vivemos aqui do lado de fora.
Esse mundo que chamamos de realidade é fake! Tudo que importa, tudo que é verdadeiro, tudo com que devemos nos preocupar está aqui dentro. Está aí dentro!
Viver é com a alma! Amar é com a alma... a verdade é a voz e o silêncio da alma.
Aqui fora somos todos cabeças. Razão deturpadora que até a nós mesmos nos engana. Nosso cérebro tem um vírus que foi programado para nos confundir, tentar nos afastar da nossa realidade para ver até onde nos deixaremos ser levados por essa ignorância. E vai ser sempre assim, não é culpa sua... não é minha. Geração a geração esse parasita suga qualquer possibilidade de um novo ser crescer com esse dom de discernimento.
DON’T EVER GIVE UP...
Você é o que você tem certeza que é e pronto! O que está acontecendo é que te fazem duvidar de você mesma a cada segundo. E você por conveniência acredita... NÃO ACREDITE!
Você é alma. Você é realidade... e o mundo precisa que você seja esse milagre! A gente nunca se enfraquece quando se doa... se fortalece, se realiza! ; )

Gustavo Pavan disse...

*-* Posso te dar um abraço?