quinta-feira, 27 de novembro de 2014

A depressão da minha vida.

O depressivo é aquele seu amigo que some no meio do rock, ou aquele que nem vai, mesmo depois de passar dias combinando contigo.
O depressivo toma pau na Universidade, é o vagabundo dos professores, o desorientado do coordenador, aquele que 'não rende' porque falta demais.
O depressivo pode passar dias dentro do quarto sem ver um vídeo, escrever uma letra, ouvir um pio.
O depressivo podia ser você, mas como não é, você o tacha de preguiçoso e mentiroso, ignora os níveis de criatividade e de criação, abafa qualquer desenvolvimento fora de aula, desanima cada fio de cabelo do indivíduo, depois diz que foi culpa dele, "ah, aquele vagabundo".

Rola uma ignorância preconceituosa contra nós. Pessoas jovens não tem motivos para se entristecer, pessoas que já conquistaram a Universidade não tem tempo para frescura... Cara, eu já ouvi tanto 'achismo' sobre a minha condição, que já me acostumei com o fato de ser sempre comparada com aqueles que rendem bem, rendem mais, conseguem manter os 'contatos para bussiness'. O mundo vive comparando.

Não fico triste por ser triste ou por ser sofrida, eu não sou. Mas uma parte do meu dia é down, e é nessa parte do dia que eu não consigo 'render'. Os outros precisam entender que não é frescura, não é desculpa, são meus níveis de noradrenalina e serotonina alterados, que me tiram aquela sensação de bem estar, de segurança, de confiança. Se funciono bem com passinhos lentos, esses eu darei, é meu ritmo que quero seguir, mesmo que eu demore o dobro.

Chorei demais na semana passada. Foi um choque o tanto de notícia ruim, o tanto de tapa na cara de quem não sabe avaliar ninguém a não ser pelo 'rendimento' em sala... aquele rendimento que tem a ver com a sua cara e o que acham dela, se vai à aula ou não, mesmo levando dois ou três colegas de sala nas costas. Tem gente que enxerga o que quer e compara como quer. Obrigada, Universo, mas prefiro não ser assim.

Apoiem seus amigos 'fujões'. Pois para os outros, não basta considerar aquele amigo um E.T., é preciso excluí-lo.

Um comentário:

savinho theodoro disse...

End! Vida é movimento,vida é momento,vida é sentimento as vezes sofrimento,vida é pensamento!
Endquepensa,End-que-não só pensa insubordinadamente Vive!

Parabéns pelos movimentos vitais!