segunda-feira, 26 de março de 2012

Anita Obá.

A bolinha de pelo chegou.
Miou, miou.
Ficou reconhecendo a casa,
cheirando a mãe 1.
Estranhou o barulho do teclado,
ronronou no colo quente.
Seus olhinhos de cor indefinida se arregalaram,
e seu rabinho balançava rapidinho.
Comeu meio afobada,
tomou um potinho de leite.
Lambeu minha mão como forma de carinho,
apertei suas orelhinhas, acarinhei seu pescocinho.

~ Torci pras poucas primeiras horas com você se estendessem.
Prometi que conseguiria ser com você a mesma do início ao fim.
Criei uma esperança com relação a vida quando você chegou.
Que Deus (e meus atos) não tire você de perto de mim. ~

Um comentário:

Marcus Natir disse...

Ain! Adoro gatinhos!