sexta-feira, 10 de abril de 2015

Estou tremendo.
Antes fosse no sentido figurado.
Estou tremendo de medo dos zeros.
Estou com medo da voz de quem dará o veredicto.
Estou sofrendo por antecipação,
Estou perdendo o tempo dos abraços,
Carinho, chocolate, amor.
Estou adiantando a péssima sensação.

Não consigo dormir,
Não consigo aproveitar a geladeira
E despensa cheias.
Não consegui passear,
Jogar conversa fora.
Não consegui perder as olheiras,
As cultivei como filhas.

Não sei como acabar este.
É só um desabafo torto,
Cheio de medo e solidão.

Um comentário:

História Ufsj disse...
Este comentário foi removido pelo autor.